Ikonoklasta é hip-hop: Transformando o rap em atos

Já não é a primeira vez que Luaty Beirão, provavelmente mais conhecido como Ikonoklasta no meio Hip-Hop, é detido e enfrenta adversidades físicas e mentais como consequência de sua convicção. A notícia também não é nova, pois foi em Junho quando 15 pessoas, entre elas Luaty, foram detidas sob acusação de conspirar contra o governo angolano, actualmente presidido por Eduardo dos Santos. Mesmo após 90 dias, período máximo previsto pela “lei” para manter alguém detido preventivamente, Luaty não foi libertado.

Como todos já devem saber, este começou uma greve de fome há quase 30 dias… mas não é do estado grave em que se encontra que vou escrever. Sua condição é certamente preocupante, e todos queremos que a injustiça termine, mas os média parecem querer apenas reportar o estado clínico de Ikonoklasta, em vez de pensar para contextualizar seus atos. Os poucos artigos que vejo a citarem sua música são vagos, não reflexivos e repetitivos. É preciso falar mais sobre o seu trabalho, analisar o discurso e temáticas, do que fazer apenas referência em que álbum entrou, ou com quem é que se relaciona.

Jornalistas bem referem “o rapper”, mas não falam de rap, e preguiçosamente deixam de contextualizar Ikonoklasta no movimento hip-hop tuga e angolado. Luaty vem transformando o seu discurso em atos. Diz-se que rap é o que se faz, hip-hop é o que se vive… não consigo então encontrar um exemplo mais fiel que o posicionamento de Luaty. Ele não só vive o hip-hop, aqui de maneira figurada, como parece estar disposto a morrer por ele. Hip-Hop é aqui a mensagem, o movimento, a manifestação, a democracia, a greve de fome…é Ikonokasta.

“É verdade! Juro… passou na televisão” … só não passou o importante. Força Luaty!

Anúncios

Começo atribulado + Parcerias

“Onde anda o Davide?!”

A minha última publicação foi há quase um mês e meio, e só tenho de pedir desculpas pelo início atribulado deste blogue. Foi uma mistura de trabalho, falta de tempo e até um pouco de preguiça, mas hoje voltei para vos esclarecer a situação deste projecto.

Para que me discipline, decidi o seguinte esquema de publicações:
– Haverá um post neste blogue todos os fim-de-semanas (noite de sexta-feira, sábado ou domingo).
– O ponto acima não invalida a possibilidade de publicar mais de um post por semana.
– Publicações semi-aleatórias, mas relacionadas com os temas deste blogue (rap; hip-hop em geral; identidade; comunidade imaginada; internet; comunicação e big data) serão postadas no nosso Facebook. Pelo menos uma a cada 2/3 dias…

Esta entrada deveria dar continuidade à explicação do projecto do meu mestrado, no entanto, este já sofreu alterações. Assim, farei apenas um post que o explicará de uma maneira geral, para que possamos prosseguir com a proposta de conteúdo deste blogue rapidamente.

Antes de encerrar este post… bastante protocolar e aborrecido, quero ainda anunciar que o Rede Hip-Hop fez três parcerias com sites nacionais. Irei divulgar os nomes dos mesmos, assim como em que é que consiste a parceria, num futuro muito próximo.

Mais uma vez peço desculpa pela inconsistência inicial de publicações…
… e vou ali publicar isto no Facebook.