A internet como um meio (+estatísticas)

A internet trouxe, entre outras coisas, várias mudanças para a sociabilidade humana. Outros meios de comunicação e informação vão gradualmente perdendo espaço, e a rede vai substituindo-os trazendo uma diferente estrutura, horizontal. A televisão, embora ainda seja uma mídia relevante, não consegue acompanhar o fluxo de informação da internet, e oferece uma interatividade bastante limitada por funcionar binariamente – estando ou não em frente a uma.

Os canais temáticos da televisão também não conseguem acompanhar a fragmentação tópica das redes em fóruns e redes sociais. Enquanto surge um “septingentésimo” canal sobre a música de um certo país ou região, seguramente já existe um conjunto de páginas com conteúdo relacionado na internet. Obviamente não foi sempre assim, até porque a rede continua a expandir diariamente.

Se consultarmos o sítio Internet Live Stats, que coleta dados da internet a partir da União Internacional de Comunicações, Banco Mundial e da Divisão da População das Nações Unidas, poderemos consultar várias métricas e estatísticas sobre a internet (e o seu uso).

Gráfico 1 - número de utilizadores da internet

O gráfico acima identifica a curva crescente dos utilizadores da rede, e pudemos ver que cerca de 40% da população mundial possui conexão à rede. O primeiro bilhão foi atingido em 2005, o segundo bilhão foi alcançado cinco anos depois em 2010, e o terceiro chegou quatro após o segundo, em 2014.

É natural que com o aumento de penetração (percentagem de população com acesso) a percentagem de crescimento anual vá diminuindo. Mas também será natural o não acesso de utilizadores dos países mais pobres, o que contribuirá o contínuo decréscimo de novos utilizadores que iniciou em 2010:

Tabela 2  - número de novos utilizadores da internet

O facto de que, em 2013, o continente africano representava apenas 9.8% de utilizadores mundiais precisa ser ressaltado como um valor preocupante. Embora a internet tenha tido o mais rápido índice de penetração que qualquer outro meio de comunicação existem variáveis raciais, sociais e económicas que condicionam o acesso à rede. Enquanto revia os números do Internet Live Stats percebi que quando tive pela primeira vez acesso à internet (algures em 2000) fazia parte dos 6.7% da população mundial. Mais estranho ainda, foi pensar que quatro anos mais tarde (2004) quando o meu acesso à internet se tornou praticamente diário devido à contratação de um serviço de quatro megas, fazia parte de 14.1% da população mundial com acesso à rede. Ainda que pessoais, estes pontos de vista realçam as estatísticas de uma internet ainda elitizada, em uma sociedade em rede limitada.

Espero que tenham gostado destes pequenos insights sobre a internet como meio. Um texto similar a este estará disponível na versão final da minha dissertação, que, assim que terminada, estará disponível para download gratuito aqui no Rede Hip-Hop. Seguem-se as referências para este texto (se quiserem exatamente quem disse o quê basta perguntarem nos comentários, que respondo no mesmo dia):

– Sítio Internet Live Stats
– Manuel Castells (2005) A sociedade em rede. (8 ed.) São Paulo: Paz e Terra
– Davide Gravato (2016) Rap em Portugal: comunidades online, lógicas de comunicação e posicionamentos identitários na internet

No próximo post vou abordar a comunicação mediada por computador (CMC), e provavelmente, abordar alguma coisa relacionada com o conceito de virtualidade.

Davide Gravato

Anúncios