Um sumário temporário

Pois é, este vai ser o último post sobre a estrutura da tese, pelo menos por agora. O que vou apresentar abaixo é um sumário da dissertação, que irá muito provavelmente sofrer mudanças, e que definitivamente se vai prolongar. Embora eu vá fazer publicações algo aleatórias de vez em quando, este sumário serve também para que possam ter uma ideia do que virá a seguir no blogue. Aqui vai:

  1. Internet e sociedade
    1. Contextualização da internet e a sociedade em rede
    2. Evolução da internet: da web 1.0 à 4.0
    3. Apropriação da internet pelos movimentos culturais
    4. Extração de dados online para análises da realidade virtual
  2. Comunidade imaginada na rede
    1. Comunidade imaginada por Benedict Anderson
    2. Comunidades online:
      I. Tipos de comunidades online
      II. Diferenças e semelhanças: comunidade imaginada de B. Anderson vs comunidade online de (a decidir)
  3. O Hip-Hop e a sua difusão global
    1. Origens sociais e territoriais do Hip-Hop
    2. As quatro principais vertentes
    3. Globalização da cultura Hip-Hop
    4. Contextualização social e a difusão do Hip-Hop em Portugal
  4. Identidade do rap nacional
    1. Formação das margens norte e sul
    2. A disseminação dos “códigos de conduta” nos primeiros álbuns
    3. A expressão do real e o purismo anti-americano
    4. Underground vs Mainstream
    5. Outros aspectos identitários do rap tuga
  5. Das ruas para a rede: A transição do rap português para o meio online
    1. A essência e caracterização do rap nacional na internet
    2. A compressão espaço-tempo
    3. Democratização do espaço e informação
  6. A comunidade imaginada do rap português na rede
    1. Atributos e disposição da comunidade imaginada do rap nacional na rede
    2. Discrepâncias entre o offline e online: (des)aproximação das ruas e público
    3. Relação com comunidades de outras vertentes
  7. Os rappers portugueses na internet
    1. Lógicas de comunicação e interacção com o público online:
      I (Serão escolhidos 6 projetos. Não posso divulgar nomes por enquanto)
    2. Posicionamentos identitários e análise de opinião quanto à essência do rap português no Facebook:
      I (Provavelmente os mesmos 6 projetos serão analisados. Não posso divulgar nomes por enquanto)
    3. Considerações e análises dos resultados
  8. Conclusões
  9. Anexos
    1. Análises estatísticas e semânticas da dissertação: visualização de informação

Pronto, este é o esqueleto base da dissertação, e como já devem ter reparado, pelo carácter algo vago de vários pontos, esperem várias ramificações em cada tópico.

Vou continuar a minha leitura com o Castells! Até mais…

Anúncios

As três perguntas…

Como disse na publicação anterior, neste primeiro post irei lançar algumas das problemáticas da minha dissertação de mestrado. Se ainda não leram a minha mensagem de boas-vindas, ou o texto no separador “Sobre”, aproveito para referir que sou mestrando em Comunicação, Arte e Cultura pela Universidade do Minho. A minha dissertação tem como temas-chave, o rap português, a internet e a identidade virtual.

Na verdade, esta pesquisa começou no meu tempo de licenciatura em Estudos Culturais (ILCH – Universidade do Minho), onde, a partir do segundo ano, já realizava alguns trabalhos académicos, os quais submeti com sucesso em seminários e congressos internacionais, como foi o caso do Confibercom 2014:

1016811_828622220498678_6439394735942121220_n

Embora minha pesquisa já tenha pelo menos dois anos, digamos que uma estrutura argumentativa “princípio-meio-fim” só será concebida agora no mestrado, com algumas reservas para o “fim”, porque investigação raramente vê um fim. Assim, como todo mestrando, preciso de perguntas, hipóteses, variantes e constantes, etc…

Estou actualmente a terminar o projecto do mestrado, e embora a pesquisa ainda esteja um pouco vaga/aberta a mudanças, três questões me acompanham desde a licenciatura:

1 – Não será difícil perceber, principalmente para quem faz rap, que o que era antes (início dos anos 2000) o ambiente atmosférico urbano do movimento hip-hop, sofreu uma migração acentuada para a internet. Só isto não forma uma problemática relevante para mim, uma vez que praticamente toda a industria musical viu essa migração. O que me intriga é: como se sentem os rappers que, antes da massificação do acesso à internet em Portugal, produziam música para as ruas, e agora esse ambiente urbano foi engolido pela rede (?). Meu interesse centra-se mais no movimento purista do rap nacional. O que realmente mudou nessa configuração?  Perdeu o rap parte de sua essência?

2 – Usando a mesma comparação temporal, entre início dos anos 2000 e a migração dos rappers para a rede, pergunto-me também: Quais são as lógicas de comunicação destes artistas, uma vez que agora não são mais o único ponto de emissão de informação? Uma vez que a internet democratizou a informação, tornando o utilizador um possível emissor de opinião, quase sem filtros, quais são os posicionamentos quanto à comunicação destes rappers, agora acessíveis e expostos a feedback directo, à distância de um simples clique e acesso a uma página de Facebook? Tornaram-se eles marketeiros?

3 – Por fim, interessa-me analisar a configuração, e a existência (ou não), da comunidade imaginada online do movimento hip-hop tuga. Existe ou não uma consciência colectiva de pertença a um movimento, que na rede perdeu território e margem, para não falar da compressão do tempo? Haverá uma identidade colectiva desta comunidade dentro da rede, e uma diferente no mundo offline?

Estas são algumas das perguntas que se vão transformar, e sobre as quais me debruçarei ao longo dos próximos meses. O meu próximo post será sobre a metodologia que irei utilizar, ou pelo menos a que tenciono… vamos ver o que a minha orientadora diz =)

Hora de ir…vou ali comer uma pizza.

Rede Hip-Hop

Bem-vindos(as) ao Rede Hip-Hop!

Este blogue, como já devem ter adivinhado pelo nome, vai tratar de assuntos sobre Hip-Hop. Não será um blogue com publicações relacionadas com as novidades da cultura, mas sim um local onde irei publicar questões atreladas à minha pesquisa de mestrado. Criei uma página “Sobre” no menu acima, onde poderão ler sobre a missão, entre outras informações deste “projeto”.

Neste primeiro post quero apenas dar-vos as boas-vindas, agradecer o tempo dispensado, assim como vos convidar a seguir o blogue… seja através do botão para esse fim na barra à direita, ou através da nova página de Facebook.

Como escrevi na secção “Sobre” o Rede Hip-Hop, aqui irão encontrar bastante material académico aplicado ao movimento cultural, mas encontrarão igualmente uma abordagem menos formal. Além disso, apesar de o meu foco de pesquisa ser o rap português, é provável que faça publicações sobre outras vertentes, ou hip-hop de outras partes do mundo, entre outros posts relacionados com comunicação, sociologia e internet. Irei promover interacção com os visitantes, parcerias com sites, entre outras coisas…

Espero ver-vos na minha primeira publicação, que será dentro de poucos dias, onde farei a apresentação de algumas das perguntas-chave da minha dissertação.

Obrigado =)